Que tal acompanhar nossas mídias sociais?
Inspire-se! Transforme-se!

Dica 4 – Pedidos vagos x Pedidos claros e factíveis

– Tempo de leitura: 2 minutos

João estava estudando, quando Felipe entrou na sala e ligou o aparelho de som e começou a escutar música. Incomodado, João disse: – Desligue esse som!

Tão logo ouviu o pedido, Felipe desligou o som e ligou a televisão. Então, começou a assistir televisão. Novamente incomodado, João esbravejou: – Desligue essa televisão que eu estou estudando! Caramba!

Felipe ficou consternado. Afinal, havia feito o que João pediu e não entendeu o porquê de desligar a televisão.

Entediado, Felipe continuou no sofá e se pôs a pensar. Com uma prancheta, papel e lápis em mãos, batia o lápis na prancheta enquanto pensava.

Mais uma vez, o sangue de João começava a subir… e a continuação da história você pode imaginar.

 

Por trás do pedido de João havia uma necessidade de tranquilidade e foco, pois estava se dedicando a estudar matemática. Matéria que ele tem extrema dificuldade.

João supôs que seria óbvio que ele precisava de tranquilidade e foco. A partir dessa suposição, fez um pedido vago, que não expressava o que ele realmente precisava. Consequentemente, as ações escolhidas por Felipe continuaram a descuidar do que era importante pra ele.

Veja que não estamos falando sobre existir uma forma certa ou errada de expressar um pedido. A questão é que quanto mais clareza trazemos, maior a probabilidade de encontrar soluções que cuidem de nós e das outras pessoas ao mesmo tempo.

 

Então como podemos fazer pedidos mais factíveis e claros? Vamos a algumas dicas:

1. Peça aquilo que você quer que seja feito, ao invés de pedir aquilo que você quer que para/deixe de fazer

2. Seja o mais específico possível: Expresse quem, quando e o que gostaria que fosse feito

3. Integre no pedido a(s) necessidade(s) que procura atender através do pedido

Vamos ver como João poderia fazer um pedido para Felipe, a partir destas dicas?

“Olha Felipe, estou estudando matemática, que é um tema que tenho muita dificuldade. E fico bem ansioso e tenso durante estes estudos. Será que nas próximas 2h poderíamos manter o silêncio aqui na sala? Assim eu consigo ter mais tranquilidade e foco.”

Talvez Felipe não esteja disposto a atender este pedido e responda: “Não”. Isso pode acontecer se ele não vê como a aceitação deste pedido cuida de suas próprias necessidades. Então, este ‘não’ se torna um convite para manter um diálogo empático e encontrar estratégias que levem em consideração as necessidades de ambos.

Mudar a forma como fazemos pedidos é um exercício árduo de desconstrução de padrões já enraizados. De tomar consciência e fazer novas escolhas em cada interação que temos.

 

E para apoiar essa desconstrução, vamos praticar?

1. Pense sobre uma situação na qual você fez um pedido onde faltou clareza e chegou num desfecho de desconexão.

2. Quais sentimentos e necessidades estavam presentes?

3. Agora, mais consciente das características de um pedido, como você o reformularia? Pense em 3 ou 4 formas de fazer esse pedido.

4. Caso seu pedido não seja atendido, imagine como você se sentiria. Reflita sobre o porquê. Use como informação para entender o que é importante pra você.

5. Repita os passos 1 a 4 pensando numa situação atual que você enfrenta e seria importante fazer um pedido claro e factível.

Tem interesse em investir em suas habilidades relacionais e comunicacionais?

Cada produto nosso foi escolhido a dedo, com a intenção de apoiar seu desenvolvimento pessoal e profissional

Curso facilitado
TRETA: da polarização ao diálogo
Um curso para  aprender a lidar com quem pensa diferente.
Curso online gravado
Introdução à Comunicação Não Violenta
Comunicação consciente e empatia como caminho para a colaboração e relações saudáveis no ambiente de trabalho, e além
Kits de produtos
Kit beabá da CNV
Kit composto por três livros ilustrados que, quando lidos em conjunto, oferecem uma compreensão básica da Comunicação Não Violenta, tanto dos seus conceitos como das suas possibilidades de uso
Livros
Comunicação Não Violenta no trabalho
Um livro para te apoiar na integração de uma comunicação mais empática e assertiva no trabalho, pautado na CNV
Jogo GROK
Jogos
Jogo GROK
Um jogo para apoiar a prática de empatia e Comunicação Não Violenta de forma lúdica e divertida
Deixe um comentário!

Conta pra gente suas dúvidas, aprendizados, inquietações! Vem construir esse espaço de troca com a gente!

Assinar
Notificação de
guest
1 Comentário
Mais votado
Mais recente Mais antigo
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Inspire-se! Transforme-se!

Escute de verdade e salve uma vida

Uma história real para lá de especial contando sobre como o uso do Grok pode até salvar vidas. O relato foi divulgado pelas criadoras americanas

Leia mais »