Que tal acompanhar nossas mídias sociais?
Inspire-se! Transforme-se!

Dica 7 – Girafa clássica vs Girafa natural

– Tempo de leitura: 3 minutos

A girafa é o animal que representa simbolicamente uma comunicação mais empática, que busca conexão. Baseado nessa visão, conheça duas formas de ‘ser girafa’ nas relações.

Ser uma ‘girafa clássica’ significa falar a partir de observações, sentimentos e necessidades e fazer pedidos (conteúdos que vimos nas dicas 1 a 6) de forma literal e focados em integrar todos estes elementos na fala.

“Quando eu vejo que passaram duas horas após o almoço e a louça ainda está na pia, sendo que combinamos que você a lavaria, eu me sinto incomodado, frustrado e cansado, pois pra mim é importante colaboração, limpeza e respeito. Você ainda está disposto a seguir com o combinado?”

Ser uma ‘girafa natural’ significa integrar estes elementos de forma mais fluida em nossas interações no dia-a-dia, preocupando-se mais em estabelecer e manter a conexão do que falar ‘da forma certa’.

Olha, eu acho importante mantermos o combinado que tivemos sobre a louça. Você está disposto a lavá-la?

 

Não precisamos escolher entre ser uma ‘girafa clássica’ ou uma ‘girafa natural’. Cada uma traz benefícios distintos para nossas relações. O mais importante é compreender quando e como acessar as qualidades de cada forma.

É normal passar pela fase da ‘girafa clássica’ quando estamos nos familiarizando com uma comunicação empática. Assim como quando aprendemos a andar de bicicleta: no início, as rodinhas eram nossa segurança nessa nova aventura.

À medida que praticamos (revisite os conteúdos das dicas de 1 a 6) começamos a integrar estes elementos ao nosso jeito de falar, tornando a experiência de ser uma ‘girafa natural’ mais presente em nossas relações. Nesse momento encontramos nosso próprio equilíbrio e deixamos de usar as rodinhas da bicicleta.

Porém, mesmo fluente na ‘girafa natural’, existem alguns momentos específicos onde ser uma ‘girafa clássica’ pode te apoiar:

  • Quando existe o risco de conflito por falta de clareza de uma ou ambas as partes
  • Quando pretende comunicar algo delicado e deseja reduzir o risco de ser levado para o lado pessoal.

 

Independente de nos comunicarmos como ‘girafa clássica’ ou ‘girafa natural’, fica um lembrete importante:

Com a ‘girafa clássica’ existe o risco de darmos uma grande ênfase para a ‘forma certa’ de falar e esquecermos da nossa intenção de conexão. Por isso, estejamos atentos ao que buscamos a cada momento: ter razão ou ter conexão. A partir do momento que perdemos de vista a busca pela conexão, pode ocorrer de falarmos ‘bonito’ apenas para obter o que queremos. Assim, a forma, privada de sua alma, se torna uma dócil ferramenta de manipulação.

 

Curiosidades sobre a simbologia da girafa

1. É o mamífero terrestre com o maior coração

Representando uma comunicação a partir do coração, buscando o que é importante para nós e para os outros.

2. Tem um longo pescoço

Nos lembrando de termos uma visão panorâmica da situação, enxergando não apenas o nosso ponto de vista, mas também o de outras pessoas.

3. É capaz de ingerir espinhos sem se machucar

Nos convidando a exercitar a escuta de palavras ‘com espinhos’ sem levar para o pessoal e separando o que é nosso e de outras pessoas, criando espaço interno para escuta e acolhimento.

4. Tem uma força tão grande, que mataria um leão com apenas um coice. Porém, usa essa força para proteger a vida

Nos lembrando que ser empático não é ser passivo. E existe espaço para uso da força com a intenção genuína de buscar e/ou oferecer proteção e cuidado.

 

Vamos praticar?

  1. Relembre uma situação recente que mexeu contigo. Pode ser algo que cuidou ou descuidou do seu bem-estar.
  2. Identifique nesta situação:
    1. Quais os fatos observáveis?
    2. Quais sentimentos presentes em você?
    3. Quais necessidades suas foram ou não foram atendidas?
    4. Existe algo que você gostaria de pedir para a outra pessoa?
  3. Exercite sua ‘girafa clássica’: escreva como você se expressaria, usando estes 4 elementos.
  4. Exercite sua ‘girafa natural’: escreva outras formas de se expressar de forma fluida, num diálogo cotidiano.

Se precisar, revisite as dicas de 1 a 6 para te apoiar.

Colibri
Textos sob o nome de Colibri foram escritos por Sérgio Luciano e Laura Claessens, fundadores da Colibri.
Tem interesse em investir em suas habilidades relacionais e comunicacionais?

Cada produto nosso foi escolhido a dedo, com a intenção de apoiar seu desenvolvimento pessoal e profissional

Curso facilitado
TRETA: da polarização ao diálogo
Um curso para  aprender a lidar com quem pensa diferente.
Curso online gravado
Introdução à Comunicação Não Violenta
Comunicação consciente e empatia como caminho para a colaboração e relações saudáveis no ambiente de trabalho, e além
Kits de produtos
Kit beabá da CNV
Kit composto por três livros ilustrados que, quando lidos em conjunto, oferecem uma compreensão básica da Comunicação Não Violenta, tanto dos seus conceitos como das suas possibilidades de uso
Livros
Comunicação Não Violenta no trabalho
Um livro para te apoiar na integração de uma comunicação mais empática e assertiva no trabalho, pautado na CNV
Jogo GROK
Jogos
Jogo GROK
Um jogo para apoiar a prática de empatia e Comunicação Não Violenta de forma lúdica e divertida
Deixe um comentário!

Conta pra gente suas dúvidas, aprendizados, inquietações! Vem construir esse espaço de troca com a gente!

Assinar
Notificação de
guest
2 Comentários
Mais votado
Mais recente Mais antigo
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários