Vícios de escuta #3: Evitar a dor

Tempo de leitura: < 1 minutos

Dor. Sensação desconfortável que evitamos o máximo possível em nosso dia-a-dia.

Logo que ela vem, damos um jeitinho de abafá-la. Deixá-la de lado. Amenizá-la.

O processo de luto é evitado e esta dor fica represada, muitas vezes de forma inconsciente. Passamos a senti-la no corpo físico e emocional, ainda que não saibamos que ela é o gatilho.

E assim vamos evitando cada momento de dor da vida e deixando de olhar para o que ela está cuidando ao surgir.

Acreditamos que cada pessoa tem os recursos internos para lidar com a dor e cuidar dela. E ao oferecermos escuta podemos, em primeiro lugar, colocar nossa presença à disposição. Nada mais.

“Estou aqui com você. Sustentando este espaço para você viver o que precisar viver. Toma seu tempo. Continuo aqui. Como posso cuidar do seu bem estar neste momento?”

Estar presente é potente. O silêncio de quem escuta é, muitas vezes, curador para quem fala.

Da próxima vez que se perceber evitando a dor de alguém, pergunte-se:

“O que dentro de mim dói quando escuto a dor do outro?”

Talvez… talvez… esse nosso impulso de sumir com a dor fale sobre algo muito importante dentro de nós que também precisa ser cuidado.

Aí, dá-lhe trabalho interno.  🙂

 

E para começar esse trabalho interno, que tal um vídeo da Brené Brown sobre simpatia e empatia?

Anterior:

Vícios de escuta #2: Conselhos

Próximo:

Vícios de escuta #4: Identificação

Gostou do conteúdo?
Compartilhe em suas mídias sociais!
Compartilhe
Colibri

Colibri

Laura e Sérgio são companheiros de vida e trabalho, fundadores da Colibri. Vez ou outra bate uma inspiração e eles escrevem e revisam em conjunto os conteúdos. Nesse perfil, eles dão voz e asas à Colibri.
0 0 votos
Avalie esse texto
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários