Na dor, às vezes precisamos é de um pouco de escuta

Tempo de leitura: 2 minutos

Acreditamos na importância de escutarmos a dor da outra pessoa, ao invés de “jogá-la pra escanteio”. Afinal, a dor é parte da vida.

Quando queremos evitar o processo de dor e luto da outra pessoa em troca de um bem-estar momentâneo, em longo prazo, existe o risco de quem passa pela dor ser menos responsiva às adversidades do cotidiano.

Fora que, ao querermos evitar a dor do outro, talvez estejamos falando a partir de nossa própria experiência em não saber lidar com situações de dor, desconforto, adversidade.

Ah, uma última coisa importante: não é errado querer evitar a dor. Porém, pergunte-se sempre de onde vem esse primeiro impulso de evitá-la. Para além da definição do certo e errado, busquemos ações conscientes.

O que este quadrinho desperta de aprendizado em você? Conta pra gente nos comentários!

Anterior:

Respire fundo antes de contar sua própria história

Próximo:

Eu não tenho essa necessidade aí não!

Gostou do conteúdo?
Compartilhe em suas mídias sociais!
Compartilhe
Sergio Luciano

Sergio Luciano

Sou um dos fundadores da Colibri. Intrigado pela complexidade das relações de poder e privilégio numa sociedade, tenho me aprofundado nesse tema pelo olhar Processwork, uma abordagem terapêutica derivada da psicologia junguiana voltada para mediação de conflitos, facilitação de grupos e autoconhecimento. Também investigo e compartilho sobre comunicação não-violenta e atendo organizações e pessoas físicas no Brasil e no exterior.
0 0 votos
Avalie esse texto
Assinar
Notificação de
guest
2 Comentários
Mais votado
Mais recente Mais antigo
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários